“Um povo sem o conhecimento da sua história, origem e cultura é como uma árvore sem raízes”.
Marcus M. Garvey

 

         Utilizaremos o dia 19 de abril, dia do índio, para enfatizar a importância de lembrar-se dos índios todos os dias, conhecendo e respeitando as centenas de populações indígenas que vivem hoje no Brasil. Isso se faz necessário porque grande parcela da população não-indígena brasileira desconhece quem são os povos que (co)existem neste país, como vivem e, principalmente, os desrespeitos graves aos direitos humanos e aos direitos dos povos indígenas que enfrentam.

 

      São 516 anos de extrema violência colonizadora neste continente. Foram milhões os indígenas que morreram no decorrer desta história; mortes ocasionadas por doenças, conflitos e outras violências advindas da relação com os colonizadores; e atualmente também na relação com os não-indígenas que carrega, necessariamente, a marca desta desigualdade histórica.

 

        Enquanto nas escolas há o ensino dos mitos gregos, pouco ou nada se fala dos mitos indígenas que, como aqueles, fazem parte de nossa história, do que somos. Sabemos dos atentados praticados contra os europeus, mas não somos informados das violências físicas (assassinatos) e mentais (ameaças, suicídio etc.) que ocorrem cotidianamente, por exemplo, no Mato Grosso do Sul, contra os Kaiowá, Terena, entre outros povos. Precisamos reagir à intolerância cultural que é praticada contra povos que insistem, há anos, que são diferentes e pensam diferente; que quando demandam terra, saúde, educação etc. não pensam que estas sejam coisas distintas, ou que seja possível trabalhar uma separada da outra, como os não-indígenas insistem em distinguir.

 

      Por isso, neste dia 19, dia escolhido como “dia do índio” devido o fato de diversas lideranças indígenas terem resolvido participar do Primeiro Congresso Indigenista Interamericano, ocorrido no México, a partir do dia 19 de abril de 1940, ouçamos o que representantes de alguns povos têm a nos dizer: 

 

 

 

 

  

 

 

 

*Projeto de Emenda à Constituição que altera os artigos 49, 225 e 231 da Carta Magna, transferindo a competência das demarcações das terras indígenas do poder executivo (FUNAI e ministério da justiça) para o Congresso Nacional. 

 

Fontes das imagens: Foto Alvaro Tukano - site: Think about it - Climate change / Foto David Kopenawa - site: Folha de São Paulo / Foto Sônia Guajajara - site: WWF-Brasil